f t g m

Litoral terá Centro de pesquisa e tratamento de animais marinhos

 

Matéria divulgada dia 03 de novembro de 2016 pelo site da Secretaria do Meio Ambiente do Paraná sobre novo Centro de pesquisa. Leia matéria na íntegra aqui 

 

O Paraná terá um centro de pesquisa e reabilitação de animais marinhos, no Litoral. O empreendimento é financiado pela Petrobrás e será administrado pelo Centro de Estudos do Mar (CEM), da Universidade Federal do Paraná, uma das instituições que integram o projeto de monitoramento de praias e de avaliação das interferências em aves, tartarugas e mamíferos marinhos quanto às atividades do pré-sal realizadas na Bacia de Santos. O licenciamento ambiental do Centro de Reabilitação Paranaense vem sendo conduzido pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e está em fase de aprovação pelo Conselho de Desenvolvimento Territorial do Litoral Paranaense (Colit). 

 

Leia mais 

Equipe de biólogos salva tartaruga gigante que engoliu aterfato de pesca

 

Matéria divulgada dia 28 de novembro de 2016 pelo site rede TV Notícias sobre tartaruga gigante que engoliu artefato de pesca. Leia matéria na íntegra aqui

 

Uma tartaruga cabeçuda que encalhou na areia foi salva por um grupo de biólogos, em Itanhaém, no litoral de São Paulo. O animal, uma fêmea adulta de quase 100 kg, foi resgatado na quinta-feira (24), na Praia do Centro. Em um vídeo publicado na página do Facebook do Instituto Gremar Resgate e Reabilitação de Animais Marinhos, a equipe mostra a remoção de um artefato de pesca que foi encontrado na boca da tartaruga. "O procedimento foi um sucesso e felizmente conseguimos remover o impressionante pedaço que estava alojado na boca da tartaruga. Ela permanece em nossa base, agora recebendo todos os cuidados necessários para retornar ao mar o quanto antes", postaram os biólogos.

 

Leia mais

Tartaruga ameaçada de extinção é achada sem cabeça em praia de SP

 

Matéria divulgada dia 21 de novembro de 2016 pelo site do Jornal Cidades sobre tartaruga ameaçada de extinção achada morta em praia de SP. Leia matéria na íntegra aqui 

 

Uma tartaruga oliva foi encontrada morta e sem cabeça na Prainha Branca em Guarujá, no litoral de São Paulo, na tarde do sábado  do dia 19 de novembro. Outra tartaruga marinha da mesma espécie foi achada há apenas dez dias no mesmo trecho. O animal, que está ameaçado de extinção, foi localizado por banhistas por volta do meio-dia, encalhado na areia. Os moradores acionaram o Grupamento de Bombeiros Marítmo (GBMar) e o Instituto Gremar, que realiza o monitoramento das praias da cidade. Os biólogos do Gremar identificaram o animal como sendo da espécie oliva e o levaram para a sede da instituição. O réptil, quando foi encontrado, estava sem cabeça e, segundo os biólogos, uma necrópsia não poderá ser efetuada por causa dessa situação.

 

Leia mais 

Tartaruga fica presa em apetrechos de pesca e é resgatada em Itanhaém

 

Matéria divulgada dia 25 de novembro de 2016 no site do G1 sobre tartaruga presa em petrechos de pesca. Leia matéria na íntegra aqui 

 

Uma tartaruga da espécie cabeçuda foi resgatada, na quinta-feira (24), na praia do Centro, em Itanhaém, no litoral de São Paulo. O animal estava com apetrechos de pesca presos pelo corpo e, segundo os biólogos, engoliu um anzol. A tartaruga está recebendo cuidados na sede do Gremar. Os moradores avistaram o animal vivo, por volta das 18h30, na areia da praia do Centro. A Guarda Municipal de Itanhaém foi acionada e chamou do Instituto Gremar, que resgatou o réptil. De acordo com o biólogo Thiago Nascimento, o animal foi capturado acidentalmente. Segundo a bióloga Andrea Maranho, também do instituto, a tartaruga é uma fêmea adulta da espécie cabeçuda e pesa cerca de 100 kg. O réptil está com uma lesão na nadadeira esquerda e ingeriu um anzol, que se encontra no esôfago. "Estamos fazendo os exames para retirar o material", informou.

 

Leia mais 

Tartaruga-oliva em reabilitação

 

 

Notícia divulgada dia 17 de novembro pelo facebook do Gremar sobre tartaruga-oliva em reabilitação. Leia notícia na íntegra aqui

 

Esta tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) foi encontrada viva em São Vicente no último domingo e já está em reabilitação na base do Gremar em Guarujá. Vale lembrar que só em outubro resgatamos 56 tartarugas marinhas - sete com vida. Além do processo de estabilização ela deverá ser submetida a procedimentos nas duas nadadeiras dianteiras, por conta de fratura e ferida provavelmente causadas por linhas de pesca. Trata-se de uma espécie de pequeno porte e sob risco de extinção, o que exige cuidados redobrados de nossa equipe.

 

Leia mais 

Copyright -  Programa de Monitoramento de Praias  - 2016 - Todos os direitos reservados